domingo, 14 de setembro de 2008

Bebidas, Multas e Serviço de Entrega

Bebidas, Multas e Serviço de Entrega
A Lei Seca tem sido aplicada com total e admirável vigor, posto que a lei surgiu à partir de dados comprovados de que as maiores causas de morte sejam de acidente de trânsito por motoirstas embreagados. Causando prejuízo não somente para os envolvidos em acidentes como também ao estado com resgate de vitímas e itens envolvidos no caso.
Entretanto, a lei fez com que comerciantes de bares se adaptassem à nova lei com medidas para deixar os clientes a vontade, de modo que não os perca, devido a dificuldade em voltar para casa e ser abordado ou perda da clientela, lançando novos produtos como é o caso da empresa Ambev, lançando cerveja e chope sem álcool ou mesmo diversificando nos coquetéis de frutas.
Resta-nos à adaptação aos procedimentos legais a fim de que o laser não se torne um desconforto e inconveniente transtorno causando multa ou o fim de semana sendo deteditos em uma delegacia, levando de brinde alguns pontos na carteira ou apreensão da mesma. Contudo é de se admitir que a lei tme se mantido favorável a redução de acidentes e mortes, conseqüentemente isentando a todos prejuízos irreparavéis como a vida de quaisquer cidadão, seja o favorável ou não a Lei Seca.

Bares se adaptam aos efeitos da lei seca no mercado
Para não perder clientela, bares já estão entregando os clientes em casa.
Agência O Globo - 12/9/2008 - 12:30

SÃO PAULO - Alguns donos de bares reclamam que o número de clientes caiu cerca de 30% com os efeitos da Lei Seca, que reduziu a zero a quantidade de bebida a ser ingerida por quem vai dirigir. Por isso, alguns criaram alternativas: passaram a oferecer opções de transporte para que o cliente possa voltar para casa em segurança depois de se divertir e beber com os amigos.
Uma empresa se especializou em entregar clientes de bares em casa. O serviço, oferecido na porta dos estabelecimentos, é especializado: tem motorista de terno e gravata. A empresa de “entrega” surgiu duas semanas depois que a lei seca começou a vigorar. “Nós desenvolvemos a idéia do serviço de ter um motorista personalizado e devidamente trajado”, comenta o dono do negócio, Guilherme Martins.

Convênios
Para que os clientes que beberam demais não acabem dirigindo embriagados, estacionamentos se associaram a taxistas, que oferecem descontos para quem deixa o carro e usa um motorista profissional para voltar para casa. Alguns bares também alugam vans para levar os clientes - um serviço que é procurado especialmente aos sábados. “É uma facilidade tremenda que veio para ajudar a galera. Ninguém quer se privar do lazer”, diz o analista em tecnologia da informação, Alison Rafael. Para não perder os clientes, os bares também investiram em novas bebidas. Além dos coquetéis de frutas, oferecem também cerveja e chope – tudo sem álcool. Tanto a Ambev quanto a Femsa lançaram chopes sem álcool no mercado no fim de agosto. “O chope é gostoso, muito cremoso, bem gostoso mesmo e está muito gelado”, elogia o engenheiro metalúrgico Pedro Magalhães.
São novos hábitos para ficar sempre dentro da lei. “Eu deixei de sair de carro quando eu vou beber e não tenho quem possa dirigir para mim”, conta o técnico em informática Marcelo Copacci.

Punições
Quem não anda na linha, pode pagar mais que uma corrida de táxi. Nos últimos meses, o bafômetro não teve folga. Só na cidade de São Paulo, 4.728 pessoas passaram pelo teste entre 19 de junho e 24 de agosto. Ao todo, 136 foram presas em flagrante e 1.180 autuadas.
Além de ser preso, o motorista que for flagrado dirigindo bêbado paga uma multa de quase R$ 1 mil e tem a carteira de habilitação suspensa por 12 meses.
http://www.dcomercio.com.br/Materia.aspx?canal=2&materia=786

Nenhum comentário: