domingo, 19 de outubro de 2008

Graciliano Ramos sobre a arte de escrever

"Deve-se escrever da mesma maneira como as lavadeiras lá de Alagoas fazem seu ofício. Elas começam com uma primeira lavada, molham a roupa suja na beira da lagoa ou do riacho, torcem o pano, molham-no novamente, voltam a torcer. Colocam o anil, ensaboam e torcem uma, duas vezes.

Depois enxáguam, dão mais uma molhada, agora jogando a água com a mão. Batem o pano na laje ou na pedra limpa, e dão mais uma torcida e mais outra, torcem até não pingar do pano uma só gota.

Somente depois de feito tudo isso é que elas dependuram a roupa lavada na corda ou no varal, para secar. Pois quem se mete a escrever devia fazer a mesma coisa. A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso; a palavra foi feita para dizer."

Nossa encontrei os dizeres acima lendo uma ótima revista, e caiu-me como uma luva, cada vez mais identifico-me com a Literatura de excelentes como Graciliano Ramos, Machado de Assis, Guimarães Rosa e outros....
E desta forma Deus está me ensinando o caminho, direcionando meus passos em todos os sentidos, a cada dia percebo que gosto e sei aproveitar o que é bom, agora nesta fase, onde muitos dizem que não dá mais tempo é tarde demais, aí lembro-me das palavras sábias do meu querido professor de Literatura quando diz - conhecimento não tem idade.Então preparo-me e dou o salto mais longe que puder para voar mais alto em busca do conhecimento e entrego-me totalmente a direção de Deus e percebo sou mais feliz agora do que antes.

Nenhum comentário: