domingo, 12 de abril de 2009

VOLTEI....

O bicho do mato voltou!

Três dias longe.
Longe de tudo.
Momento pensar.
No fim percebo.
Foi o melhor a fazer.


Acampamento no interior paulista, lugar lindo lindo, lembrei muito da cidade de São Sebastião da Grama e Caraguatatuba, as duas cidades com as melhores lembranças. Pra compensar os desastres de outras como Ferraz de Vasconcelos e Diadema (a que considero um Egito) piores lembranças. Lugar bom para andar, pensar, sentir ventinho no rosto, ficar à toa e pensar. Dormi tanto, no sol, na grama, no quarto, (o que mais fiz) que reclamaram que não estava aproveitando nada dos três dias. Mentira do povo, alguns são exagerados que só. Era sono acumulado da semana, pois se dormi seis ou cinco horas na semana é muito. Confesso que foi um pouco difícil, pois embora houvesse solteiros a maioria era casal de namorados. Que dificuldade viu! Não é fácil não. Mas enfim a intenção era descansar, refletir, descansar e refletir. Momento eu e Deus trocando uma ideia. Conversamos muito. Principalmente a respeito de algo (alguém) que mexi muito comigo. Que me faz suspirar por aí. Embora tenha se passado tanto tempo. Meses e meses a fio. E pensei ter deixado pra lá. Somos tão diferentes, tão distantes. Mas não! Pensando.Por que é que ando tão covarde?Não sou covarde. Sempre dei a cara a bater. Mas. Saltar não é fácil. Queda livre machuca. Alguém sempre sai ferido. Normalmente àqueles que são intensos (ou exagerados como alguns dizem) machuca-se mais e com feridas que demoram tanto a cicatrizar. Ensaio para o amor. É exatamente assim que sinto-me, como se estivesse ensaiando para o amor com um tanto de medo misturado com vontade de viver logo, de pressa de ser mais feliz, de fome de vida, de sede de lançar e pronto. Deixar acontecer, ver onde essa correnteza vai me levar. Pra que rio vai desaguar. Como gosto de àgua! Já disse isso. Foi o que mais fiz neste fim de semana, mexer com àgua, nos pés, nas mãos, no corpo todo. Em rios selvagens àgua gelada, em açude pequeno/brando em piscina artificialmente boa. Foi bom.Voltei bem, coradinha do sol e com uma leve marquinha de biquini, sutil pois branca não consegue ficar morena. Já voltando e problemas desaguando sobre a cabeça. Mãe chateada, irmão (sem ver e falar a dias), comigo, tanto pra ler e fazer, enfim talvez mudanças drásticas ainda neste ano. Ai Deus será que aguento a solidão fisica? No fim percebo não há como fugir da realidade, estou de volta ao emaranhado de problemas e coisas. Mas ainda sim com esperança de que o amor reine neste ano de 2009 de quebra fazendo valer a pena todos os dias. Depois comento mais.

Nenhum comentário: