sábado, 20 de junho de 2009

FRAGMENTO ESTRANHO....2º PARTE

Entrou aflito.Em seu rosto havia uma expressão de preocupação, mãos segurando firme o celular. De repente, um suspiro. Sentou do meu lado, e por um instante achei que era mais um, pois ficou pelo menos 5 minutos atento, com celular firme no ouvido, atento a quem falava. Passando o olhar e fiquei a observa-lo.A mão segurando firme o celular, a outra na bolsa apoiada no colo. E destraída e desatenta a leitura que fazia fechei o livro. Ainda lembro-me de cada palavra:

- Isso não é justo! Por que sempre faz isso? Por que agir desta forma! Não sou obrigado a ouvir isso, depois de 12 horas de trabalho. Estou cansado! Moído! Essa conversa não está me agradando! Faz 10 minutos ou mais que ouço você falar sem parar. Sempre a mesma coisa. Sempre a mesma conversa. E pra quê isso agora! Qual a finalidade de tudo isso? De novo? Sempre com essa história! Sempre. Quando vou ouvir coisas boas? Quando? A única coisa que fica repetindo o tempo todo é...isso aquilo outro, você já disse que lá tem muita mulher. Já repetiu milhares de vezes sua opinião! E eu? Onde fico? Você nunca me ouve! Paraaaa de ficar falando isso!!!! Já disse que não é justo ficar ouvindo esse monte de asneira, eu trabalhei o dia todo! Estou cansado demais pra ouvir coisas que magoa. Isso não é assunto pra ser tratado desse jeito!!! Não se termina por telefone. Não trata assuntos importantes em olhar um no outro! Assim é fácil! Sempe é fácil pra você! É conveniente! Tudo por uma bobagem que colocou na cabeça... que você acredita, embora eu repita milhares de vezes que não é nada disso. Eu estou cansado! Muito cansado.
- Silêncio.

Neste momento meu coração estava saltado! Quase na boca. Sem ele notar, pois estava tão tenso e atento ao telefone que não notou nada. Nem se quer conseguia olhar para os lados.
- Suspiro.

Uma voz tremula e sentida respondeu:

- Tudo bem se você quer assim! O que eu posso fazer? Não sou Deus para mudar seu pensamento. Fazer entender que certas coisas acontecem por algum motivo. Que nada é por acaso. Que há amor no meio de tantos erros. Que ninguém é errado sozinho. Não sou perfeito! E jamais serei. Não fui o melhor por que o meu melhor é isso. Tudo se constroi no dia. A vida, o amor, o futuro no dia! Não existe nada melhor do que o agora, por que o ontem já morreu e virou passado e o futuro ainda não nasceu, então não existe!!! Como você também sinto por tantos erros. Também sinto por tudo que me diz agora. Mas tudo bem! Se quer assim. O que posso fazer???.....de novo um silêncio....segundos depois desligou o celular.

Ali terminava uma história. Ali havia um ponto final. Acabou!

E um silêncio pairou em meus pensamentos. Coração gelado, respiração lenta. E notei a tristeza do homem-jovem. Foi tão estranho no hora foi como sentisse a dor, o sofrimento, a tensão dele. Sim. Com certeza ela terminou com ele. Não consegui identificar o motivo e jamais ousaria perguntar. Respeitar o espaço e dor dos outros é que o mais sei fazer. Aprendi de tanto observar. De tanto olhar pela janelinha da alma, pelo olhar discreto observar o comportamento, sentimento e mania humana. Sim, embora a maioria não note, todos os dias miro algum estranho no ônibus, metro, trem e ônibus. Não passam desapercebidos, como corpo sem alma. Olhei pra ele, mas continuou cabisbaixo.Pensativo. Longe demais. De repente olhou em direção a janela. O rosto vermelho, olhos cansados e direção do olhar lenta como se quisesse chorar. Abaixar a cabeça e chorar. E mais uma vez, confirma o que já pensava, que os homens não são tão fortes quanto aparenta. Às vezes até mais frágil que a mulher, o que não tira sua condição de macho. No fundo somos crianças, nada adultos, nada fortes, nada...nada...nada.Fiquei tão focada nele que começei a observa-lo detalhadamente, e creio que deveria ter no máximo 37 anos, cabelos pretos bem curtos, olhos grandes e pretos, boca fina, nariz pequeno, porte grande, vestia calça jeans, blusa azul e jaqueta jeans, e uma tristeza imensa naquele instante. Deus!!! Agora percebo como me incomoda a tristeza, as dificuldades, as lutas de outros...tudo tão dificil e complexo. E como somos criaturas fragéis quando nosso "mundo" desmorona e perdemos aquilo que julgamos tão importante.Suspiro.Nesses pensamentos olhei para o lado e senti que ônibus havia parado...chegamos ao destino. Levantou, respirou fundo e começou a caminhar em passos tão lentos como se não quisesse mais chegar em casa. Tão triste e cabisbaixo ele seguiu viagem.

Aconteceu hoje, na volta do curso de Formação Política lá na vergueiro em Sampa. Embora não estivesse e não estou triste, pois o curso foi maravilhoso, demos risada, tentei fazer novos amigos e até falei um pouco mais do que de costume. Talvez deixando aos pouquinhos de ser tímida ao extremo e deixar de ter medo de falar em público. Um dia que começou muito cedo e terminou assim, um tanto "triste" para alguém que mal conheço e que não faz parte em nada na minha vida. Mas que sofri agora, neste exato momento, talvez chore, talvez esteja sentindo um vazio tão grande e um solidão tão terrivel que mal queira que o dia de amanhã nasça. Mas ele nasce, o Sol sempre nasce, ainda que a gente não queria, ainda que as noites sejam frias e solitarias, ainda que...ainda ele sempre nascerá. E só porque chamou minha atenção o comportamento daquele homem estou registrando aqui, porque embora ele seja um estranho eu desejo que amanhã nasça um SOL lindo pra ele; que a mulher que o julga ou não, pois não sei o que aconteceu não sei da história e ainda que soubesse não poderia dizer algo, que abra os olhos e perceba o quanto aquele homem gosta dela, por que nunca vi uma expressão de dor. Uma tristeza tão grande que parecia devora-lo por dentro. E afinal, o que importa se errou deixou de errar, se fez deixou de fazer. O quê? O que importa? Pois como disse ele:

"Que nada é por acaso. Que há amor no meio de tantos erros. Que ninguém é errado sozinho. Não sou perfeito! E jamais serei. Não fui o melhor por que o meu melhor é isso. Tudo se constroi no dia. A vida, o amor, o futuro no dia! Não existe nada melhor do que o agora, por que o ontem já morreu e virou passado e o futuro ainda não nasceu, então não existe!!!"(...)

Aqui fica registrado mais um fragmento dos estranhos que passam por mim, como em 07/março deste ano registrei, assim o faço com este estranho.Os homens que desejam existir.

Um comentário:

Bruno L.S disse...

A primeira história gay ou não da moça recatada com espírito selvagem!
gostei muito