segunda-feira, 10 de agosto de 2009

SOBRE PALAVRAS JAMAIS DITAS 10.08.2009

Há palavras que esperei a vida toda para ouvir, mas que nunca foram pronunciadas/ditas. E milhares de vezes fui triste e frustrada quando criança, por não ouvir nada de alguém que tanto amava. Não posso negar, embora, não lembre de coisas boas a respeito disto, alguém só machuca quando este alguém é importante. Ninguém que não seja importante magoa, ou nos faz sofrer. e foi nesta convicção que hoje voltei para casa pensativa... Talvez, pelo simples motivo de querer ser diferente ou que tudo seja diferente. Já estou esgotada de tanta quinquilharia do passado. Sei que não posso arrancar da minha memória metade, mas posso querer que meu passado de amanhã seja diferente daquele de ontem. Então...

Liguei pra ele. Não sei se fiz certo, se agi certo, se fiz apenas um papel comercial, mas eu liguei. Como todos os anos e em todas as datas criadas pelos homens para demonstrar afeto, lembrança ou carinho. E por favor me isente de blá blá de que era uma data comercial, de que isso não era importante. Mesmo atrasada o fiz e não me arrependi, pela primeira vez em tantos anos. Foi uma conversa rápida e amigavel diferente dos outros anos que apenas eram cordiais de dois adultos que tinham convicção de que não eram dois desconhecidos. Apenas alguma (interna) indiferença (minha), pela dureza de coração, gênio forte e orgulho tolo. Coisas ruins plantadas em terra estéril. Mas que hoje não cabem e não há lugar na minha vida. Meus espaços estão sobrando, mas não para sentimentos assim. Para no fim perceber que, não foi ruim, que algumas coisas mudam e mudam para melhor, faz bem incluir nestas coisas às pessoas, algumas pessoas mudam, ainda que, leve uma vida quase que inteira. elas mudam...mais cedo ou mais tarde. E...

Sabe aquelas coisas que você leva um vida toda para ouvir? Então...ouvi hoje. daquele que um dia amei sem saber e q desaprendi a amar, sabendo que mais cedo ou mais tarde o tempo devolveria em forma de respeito e carinho. Mas não (ainda) de amor. Só digo que hoje cada palavra, cada palavrinha dita com tanta dificuldade, numa fala cansada e perplexa diante de si, do homem que um pouco tarde reconheceu alguma coisa de errado, as palavrinhas que nunca, nunca, nunca foram ditas...e que eu mal podia crer que saia da sua boca, cada palavra de ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...!

Neste momento não acreditei no que meu Pai acabara de dizer. E pensativa fiquei no dia de hoje, e somente um pensamento permaneceu, que é hora de mudança, uma boa e intensa mudança, numa Ana que neste ano de 2009 registrou no espaço, rasbicou no céu, pisou no mar, escreveu na terra, carregada de letrinhas que diziam " ser + feliz..." ou não talvez não precise de mudanças e sim de mais atitudes, acabar com restas do passado, aparar fiapos de lembranças, memórias ruins (se é que se pode), deixar o passado envelhecer, deixar o tempo mata-lo, deixar morrer coisas tão velhas...e ruins...aquelas que me fizeram tanto chorar e sofrer. Pois é...Por que nunca é tarde para dizer aquelas palavras que precisam e devem ser ditas, ou fazer aquelas coisas que não ousaríamos fazer... não se deixar intristecer e morrer por palavras jamais ditas. Se ele conseguiu eu também consigo...Por hora só posso dizer - Pai, eu não vou esquecer...