terça-feira, 4 de agosto de 2009

Agora preciso de tua mão
.

.
Clarice Lispector
.
.


.
Agora preciso de tua mão,
não para que eu não tenha medo,
mas para que tu não tenhas medo.
Sei que acreditar em tudo isso será,
no começo, a tua grande solidão.
Mas chegará o instante em que me darás a mão,
não mais por solidão, mas como eu agora:
Por amor.
.
Clarice Lispector



.
Sou uma filha da natureza:
quero pegar, sentir, tocar, ser.
E tudo isso já faz parte de um todo,
de um mistério.
Sou uma só... Sou um ser.
E deixo que você seja. Isso lhe assusta?
Creio que sim. Mas vale a pena.
Mesmo que doa. Dói só no começo.

Clarice Lispector
.

3 comentários:

Bruno L.S disse...

unhas vermelhas.
Seu dedo do meio está muito fino.
andou usando muito foi?

coisa feia.

Ana... disse...

kkkkkkkkk...
vc tem problemas meu!!!!

é doido mesmo.

menina de familia não faz essas coisas não viu!

Frederico Carvalho disse...

mão delicada