domingo, 30 de agosto de 2009

QUANDO A NOITE CHEGA

Foi bom! Foi tudo como imaginei. Muito corrido e cada vez mais sentindo a necessidade de se organizar, principalmente nos horários. Mas creio que será muito difícil achar qualquer tempinho neste mês de setembro. Tenho a leve impressão que não vou dar conta, pois todos os finais de semana estão preenchidos, alguns convites alegrando, fazendo acreditar que daqui pra frente será assim, assim mesmo, uma coisa engolindo a outra, mal terminado uma pra começar a outra.

O mês dá o seu sinal de mudanças, algumas bruscas que irei sentir logo de início. Claro e como não senti-la? Sempre agarrada a barra da saia da mainha. E fazer o quê? Um dia a gente tem que crescer, sair do ninho bater asas, isso também cabe a mainha fazer. Pois o desejo de ser livre está inundando no ser, suas asas estão batendo, clamando por um céu azul e grande. E desejo toda sorte! E todo meu amor e força nessa nova empreitada.

E eu cada vez mais tenho os dias, horas, minutos, segundos preenchidos. Hoje em pleno domingo não foi diferente, chegando e saindo, chegando, ensaio, ensaio, ensaio.Mas não temos experiência? Mas o que importa? Criatividade é tudo! E isto eles tem, fico besta com eles. Só tem um que derrama criatividade além de nós, pois tem olho clínico para a coisa, é formado e experiente na coisa. Pois bem! Tudo aos pouquinhos está saindo, embora, haja um esforço e vontade de todos, mesmo com cansaço, moleza, preguiça, a lassidão total entre nós. E agora, somente agora às 22h:33 minutos percebo que o domingo dá seu adeus e junto o fim de semana, que pra mim foi corrido demais.

Não fiz tudo que queria. Os mais urgentes e importantes dei conta. Só deixando a leitura de lado, algo que vou ter que me virar nos 30 amanhã pra fazer.E mesmo assim quando à noite chega, mesmo sabendo que tudo foi bom e corrido d+, eu tenho uma sensação de que o essencial eu não fiz. Não por que não quisesse, talvez, por que em todos tenho sempre uma "falsa" esperança de que irá acontecer.

A impressão que no fim de semana minhas noites serão menos vazia, menos só. Na semana não é muito diferente, ela sempre me pega, viro de um lado e outro e não tem jeito. A insônia dobra a esquina sai correndo atrás de mim, me agarra como quem diz - você é minha! Se sinto tristeza? Não, não mais. Chega um tempo que você se acostuma, e acaba por consagra-la sua "amiga". E não falo como antes, com ar de tristeza. Talvez com umas gotas de frustração. Hoje na madrugada demorei séculos para dormir. Séculos e séculos, quase uma eternidade, mesmo com o corpo tão cansado, a mente cheia, mesmo com os olhos "pesados" não consegui dormir.

E percebo que hoje á noite, quase entrando na segunda não será tão diferente. E fazendo crer , quando às noites chegam, chega também "minha companheira", a solidão. E sem sentir tristeza e exclusividade, pois mais da metade da humanidade senti o mesmo quando ela chega...

Nenhum comentário: