sábado, 14 de novembro de 2009

É de tudo um poucochinho... saudades, desejos e sonhos

Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença.
Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco:
quer-se absorver a outra pessoa toda.
Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.
(Clarice Lispector) .


Hoje à noite ouvi uma das coisas mais lindas. Daquelas que a gente grava e não esquecerá nunca mais. A Salete recitou trechos de um poema de Álvaro Campos, e este dizia "todas as cartas de amor são ridículas" e fez uma homenagem ao casal presente desta noite, que gosto e já admiro muito, o Fê e a Linda, jovem casal que em tudo combina, penso que Deus escolheu a dedo àqueles dois. E no final disse, "percebo que em tudo Álvaro está certo, são ridículos aqueles que nunca escreveram cartas de amor", respirou, fechando o livro... E como leio coisas que me fascinam, como te leio e às vezes fico bestificada, passada, à ponto de chorar feito boba quando leio coisas como estas de sexta, vai ver sou tola demais, ou sozinha demais, ou não, vai ver sou sentimental e logo me derramo toda quando leio coisas como estas. Hoje à noite sabia que iria ler algo bonito, mas de tão, não imaginei, eu chorei. Pela imagem bonita e pelos escritos lindos!

E quem dera! Quem dera! São cartas de amor àqueles solitários que dia/noite procura escritos para saciar-se, preencher-se em momentos de prazer, desejos, corpo nu, e tanta coisa. São dedicadas a quem bem se atreve a ler, sujeito a ficar com aperto no peito, nó na garganta, aquele chorinho por dentro de "ah eu queria tanto...". Talvez a solidão me deixe assim, (um tantão) mais sentimental, favorável a chorar quando lê algo desse tipo, boca, sonhos, amor, desejo (grande) de ter, pegar, abraçar, sentir, de verdade,arrancar dos sonhos e pensamentos e dar existência. E talvez eu seja a maior ridícula de todas! Escrevendo o que não me cabe, às 02h:24, é...
.
A verdade é que hoje ... As minhas memórias
Dessas cartas de amor ... É que são ...Ridículas. (Álvaros de Campos)

.
Então, vamos tentar dormir, e quem sabe, sonhar um pouquinho, abrançando, sentindo, beijando, tirando dos sonhos para os sonhos. E tomara Deus que estes durem bastante o suficiente para me deixar dormir à noite inteira, serena, tranquila e em paz...

Nenhum comentário: