domingo, 8 de novembro de 2009

A morte e o amor... por Caio, Caio, Caio Fernando Abreu

.
Somos todos imortais. Teoricamente imortais, claro. Hipocritamente imortais.

Porque nunca consideramos a morte como uma possibilidade cotidiana, feito perder a hora no trabalho ou cortar-se fazendo a barba, por exemplo.Na nossa cabeça, a morte não acontece como pode acontecer de eu discar um número telefônico e, ao invés de alguém atender, dar sinal de ocupado.

A morte, fantasticamente, deveria ser precedida de certo ‘clima’, certa ‘preparação’. Certa ‘grandeza’. Deve ser por isso que fico (ficamos todos, acho) tão abalado quando, sem nenhuma preparação, ela acontece de repente. E então o espanto e o desamparo, a incompreensão também, invadem a suposta ordem inabalável do arrumado (e por isso mesmo ‘eterno’) cotidiano.

A morte de alguém conhecido e/ou amado estupra essa precária arrumação, essa falsa eternidade. A morte e o amor. Porque o amor, como a morte, também existe – e da mesma forma, dissimulada. Por trás, inaparente. Mas tão poderoso que, da mesma forma que a morte – pois o amor também é uma espécie de morte (a morte da solidão, a morte do ego trancado, indivisível, furiosa e egoisticamente incomunicável) – nos desarma. O acontecer do amor e da morte desmascaram nossa patética fragilidade.

Caio Fernando de Abreu

Este belo e maravilhoso trecho do Sr.Caio, Caio, Caio (adoro falar assim, pq ele faz a gente cair, então eu caio a boca, caio queixo, caio os sentidos rs), tombo a cabeça para direita e digo - nossa! que escritos lindo meu Deus!!! É ele faz isso mesmo, quase, quase chega a atingir o que sinto quando leio Clarice Lispector, mas disse quase pq dizer o que sinto quando leio, ha é muito complicado, pois é incrível demais para explicar. Estes trechos foram chupinhados, isso mesmo de chupin, li essa palavra não sei onde, e me fez recordar os tempos de escola, era o lugar onde mais falava isso. Foi chupinhado de http://lyani.wordpress.com/page/5/, então aprecie e leia sem moderação. E já adianto li outros trechos de Caio, do qual fiquei fascinada e vou chupinhar , logo mais. E gosto dessa foto, ele está sorrindo deliciosamente.

Um comentário:

BRUNO L.S disse...

tem razão o sorriso dele é DELICIOSO!