sexta-feira, 2 de julho de 2010

Por telefone : Feliz aniversárioOo!!! Matando a saudade!

.

Hoje é aniversário da fofinha. Não posso ir até lá, embora esteja com tanta vontade, então cá estoou, tentando escrever algo dela. O que é bem difícil! Quando amo muito, não sei dizer, escrever, explicar. Mas dá? Alguém consegue? Se consegue muito bem, não é o meu caso. Estou com o coração apertado, apertadinho, pequenininho sabe? Na verdade desde ontem, mas ontem todos os sentimentos do mundo dentro de mim (...). Uma saudade absurda no absurdo (...). Ainda não sei explicar. E você não disse nada de você? Pq? Que triste! E sei que mais tarde, vou escrever, escrever, escrever até passar. Por que assim, consigo me achar! (?) Não tenho fórmulas mágicas para ser eu o tempo todo, visto personagens porque o mundo exige. E verdade, seja dita, só sou eu , quando escrevo. Então hoje, faço-o por liberdade. É...aprendi com ela, a simplesmente mil vezes Clarice. E liguei, ouvi a voz doce, - " o ehhehehhehe, você lembrou filha? " .


Mas como poderia esquecer? E conversamos, rimos e choramos. E descubro por trabalhar fazendo uso de telefones e odiá-los às vezes, praticamente o dia todo falando. Falando na maioria por telefone, sempre a impressão de que telefone é tão impessoal, mas não deixa de ser importante e necessário, embora queira manter distância deles sempre. Mas a verdade é que telefone mata a gente de saudade. A sensação de que só faz aumentar a saudade! Falar feliz aniversário, para quem mais amo na vida por telefone é bem triste!




Bom mesmo é dizer, abrançando, apertando, dando vários beijos, fazendo montinho, tchu tchu, bagunçando o cabelo, rodando ela pra lá e pra cá, e ouvir aquela risada, aquela gargalhada alta :

- " para com isso menina! Ohhh menina danada ! ", e acabar seduzindo-a e fazendo-a dançar pela casa.

Bom mesmo é dizer, abrançando, apertando, dando vários beijos, fazendo montinho, tchu tchu, bagunçando o cabelo, rodando ela pra lá e pra cá, e ouvir aquela risada, aquela gargalhada alta :

- " para com isso menina! Ohhh menina danada ! ", e acabar seduzindo-a e fazendo-a dançar pela casa.

Ah meu Deus! Deu uma vontade de chorar...Não tem jeito mesmo. E fazer o quê? Mesmo de longe desejo: sonhos bons , realizações mil , primaveras muitas cheia de flores, de horizontes, alegria, sol, chuva, sonhos doces, chocolate, dança, sorrisos,e fe-li-ci-da-de, vida, bastante vida..!

Espero ansiosa o domingo chegar, e dizer mãeeeee é 48 com carinha de 38? Olha só?!! Uhuuhhuhhuuh! ; E não, ela não liga não. Deixo a etiqueta, a reserva, a boa educação pros cabrobros.

Ela é bem resolvida com isto, e quando sinto que está esquecendo, faço questão de lembrá-la de como é bonita por dentro e fora, de espírito jovem, uma mulher bela que só, com seus 48 anos. Cheia desse Dna bom, de alma boa, de coração gigante, dessa garra e força de guerreira, desse mimo de gente, dos melhores sentimentos e virtudes, de tanto, tanto e tanto que nem sei dizer...


Ah! (suspiros) Aê fofinhaaaa, sobe a serra, pra gente fazer montinhooooo e tchu tchu...!
Feliz aniversárioOo! :)

Um comentário:

Lilian Borges Poesia disse...

gatinha!!! só hoje tive a oportunidade de ler com calma o que escreveu sobre sua mamis, estou emocionada de verdade... mãe é tudo de bom e tenho certeza de q se ela ler isso tudo vai ficar muito orgulhosa, vc escreve muito bem... vc sabe q adoro qdo escreve coisas suas... e com base na descrição amorosa e empolgada (como vc é!) sei q tem uma maravilhosa influencia dessa linda e super enxuta mulher para ser essa criaturinha q eu tanto adoro!

bjks
e citando vc: "ufa! suspiros..."