domingo, 5 de setembro de 2010

Sabe preto e branco? Mãos no corpo, nas costas, mãos e mãos, muitas mãos. Sabe? Pianos, trilha sonora perfeita. O horror em imagens, e aquela vontade de amar. Sabe? Dois amantes. Cúmplices até não poder mais. Sabe?A cidade feita para o amor. Cheio, lotado, muito, muito, muito de "você", essa palavrinha que sempre esteve por aqui. Sabe? A morte. E aquele - sou tão infeliz, eu não esperava por isso entende? Sabe? Eu não sei, se alguém sabe. Mas eu sei - jamais esquecerei Hiroshima Mon Amour. Há partes de mim, ou uma parte de mim, ou alguma coisa de mim. Em comum, a morte, a lembrança, e a vontade de esquecer. Para lembrar, para depois esquecer. E voltar a lembrar, para depois tentar esquecer, pq a vida só tem sentido se for assim. Caso contrário, é sem graça demais. Mesmo doente, ainda mal, uma semana difícil para trabalhar e sem direito a ir à faculdade, apenas na sexta, lembrei, vou pegá-lo. Em mãos, agora, quase agora, às 01:30, menciono mais uma vez: jamais esquecerei Hiroshima Mon Amour (suspiros)

Nenhum comentário: