sábado, 9 de outubro de 2010

Desculpa pra retrato e desculpa pra dizer: Te amo!

.

Só agora percebo, não tenho nenhum retrato aqui. Mas você sabe que sou desligada. E não é que tenha me cobrado, pois ela já está aqui, mas faltava você. Apesar de saber, que às vezes você passa por aqui, e não entende nada. Mas não me enche os pakóvas com perguntas que talvez não saiba responder. E hoje, fui correndo no quarto, queria te ver e saber que estava em casa. Brigamos muito, é eu sei. Temos um problema sério, daqueles graves, o tal CÃO. Você vair rir ao me ouvir dizer, e eu vou ficar séria te olhando, até não aguentar e soltar uma gargalhada.Isso mesmo CÃOpatibilidade de gênio. Mas não posso me esquecer que foi contigo que aprendi a gostar do Rappa. Mas tenho que dizer: você não sabe dançar. Pareci um poste de tão duro. Mas até que acho bonitinho quando toca Súplica Cearense e você fica pra lá, e pra cá. Ou quando tenta rebolar. Pelo amor de Deus! Sou obrigada a dizer "que porra é essa?", mas acho graça e é risada atrás de risada. E citar tudo que penso de você é complicado. Melhor dizer que você não é o cara. Sim, não é. Daqueles que a gente, sai por aí dizendo que é exemplo. Não você não é. Mas sabe? Está sempre tentando ser você, não é muito de falar, mas faz o que bem apraz. E você sabe cozinhar, aprendeu só de olhar. Inteligente, fácil aprendizagem. E apesar de todos os atropelos, dos olhos vermelhos e desse emaranhado de problemas, eu ainda acredito em você. E se multiplico as chances, é por que eu acredito em você. De verdade! Eu sei que você pode ir além. Talvez, por saber que lá no fundo, lá no fundinho você é tão carente e frágil,(como eu). Que lamenta e sente a falta de não ter tido "o pai ". Ou um pai, de presença presente. Daqueles que não ignora a existência, que demonstra se orgulhar, mesmo sabendo que as chances foram tão poucas, por isso o que conseguimos, apenas isso... Aqui, dentro de mim, embora você não diga eu sei como se sente. Sei mesmo. E não canso de dizer: eu acredito em você. Na verdade essa é uma desculpa bem esfarrapada para dizer: Te amo! E sempre quis ter você mesmo. Se fosse uma menina não daria certo. E você é um magrelo, magrelo e "maguelo" (como eu), carinha de menos, menos na idade. E oh tinha que ser você cara. Afinal chamaria quem de : mininu veio, mininu chatão, mininu do caramba... (quando nervosa), ou Jú, Juninho, meu baitolinha predileto, meu irmão Júnior. Te amo até os confins da terra. Ah,também é uma desculpa pra dizer que a louça é sua no feriadão, até logo. hahahahhahaha, :))
Um beijo mininu.

Um comentário:

Solange disse...

ah... esse amor é assim... cheio de verdades atropeladas... achei lindo !!!!

beijo enorme