segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Foucault

"Uma tarde eu estava ali, olhando muito, falando pouco, ouvindo o menos possível, quando fui abordado por uma das mais bizarras personagens desse país, que Deus não deixou que faltasse. É um misto de altura, baixeza, bom senso e desatino”.

"No momento em que a dúvida atingia seus perigos maiores, Descartes tinha consciência de que não podia estar louco – sem que isso impedisse que reconhecesse, durante muito tempo ainda e até o mau gênio, que todos os poderes do desatino espreitavam à volta do seu pensamento."


[ Michel Foucault ]

Um comentário:

Lilian Borges Poesia disse...

Quem ama Foucault?
eu
eu
eu
eu
eu
eu