domingo, 14 de agosto de 2011


Eu não chego a me compreender não.
É fumaça nos meus olhos, é telefone ocupado, é unha quebrada no meio, risco de giz no quadro-negro, é nariz entupido, é fruta de repente podre, é cisco no olho, é pontapé no traseiro, é pisadela no calo do pé, é alfinete furando o dedo delicado, é injeção de Novocaína, é cusparada no meu rosto.
Sou uma atriz perfeita.


(Clarice Lispector)

2 comentários:

Lilian Borges Poesia disse...

hummmmmmmmm senti falta dos seus fragmentos...

Híndira disse...

Aqui é uma compilação de um bocado de coisa bonita!