sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

ATTACK


Unfinished Sympathy

.
"How could you have a day without a night? / Como você pode ter um dia sem uma noite?
You're the book that I have opened / Você é o livro que eu abri
And now I've got to know much more / E agora eu tenho que conhecer muito mais..."
.




,... a impressão de buscar sempre o sofrimento, o doído, o mais difícil e não é verdade. Afinal nada vem fácil ou cai do céu. E se atrai e raramente isto aconteci, se me faz dobrar pensamentos e curiosidade, se deperta, bem, sei lá. Vê no que dá? Não busco nada que me arranque pedaços, cansada disso, eu quero viver e isso hoje, é muito, tendo em vista outros tempos. Gosto disso, quem sabe prá se dar chances...? E claro prá ter no estoque desculpas. As mil e uma desculpas para os que dizem gostar de mim ( família e amigos), estoque de desculpas prá dizer: "olha eu tentei", é um tentar estranho, mas tentei...? E quem pode me entender (ufa) Se nem eu consigo? E no entanto, gosto disso, têm sido o desassossego da mente[...]

Nenhum comentário: